Diabetes: Qual o seu risco?

Violência, trânsito, poluição, é o que vem à sua cabeça quando se fala em “risco urbano”?  A crise mais crítica que vivemos em nossas cidades atualmente são na verdade as doenças silenciosas, a nova epidemia urbana.

Sedentarismo, fumo, sobrepeso, dieta pouco saudável. Todo esse estilo de vida favorecido pela rotina nos centros urbanos leva a doenças graves, como o diabetes, com sintomas que podem demorar aparecer.  O mais alarmante é que esses hábitos são repassados às crianças, que têm sido expostas cada vez mais cedo a excessos, tornado-o um problema de saúde global.

Repense sua bebida

O açúcar por trás dos alimentos: repense sua alimentação. Seus hábitos são transferidos aos seus filhos.

14 de novembro é o Dia Mundial do Diabetes. A data foi introduzida para aumentar a consciência sobre o diabetes: suas causas, sua prevenção e os efeitos devastadores que tem sobre as vidas humanas e sistemas de saúde em todo o mundo. E em 2016 a campanha é “De Olho no Diabetes” / “Uma Doença Invisível”, uma vez que metade das pessoas nesta condição não é diagnosticada, e o diagnóstico precoce aliado ao tratamento adequado reduz a possibilidade de sérias complicações, como cegueira, insuficiência renal, amputações, e até complicações fatais.

A boa notícia é: mais de 70% dos casos tipo 2 (nos quais o indivíduo não produz insulina suficiente ou ela não age adequadamente) podem ser evitados com simples mudanças de hábitos. Vamos mudar a rotina para um estilo de vida mais saudável em toda a família? Fique atento aos seguintes fatores de risco.

1. Sedentarismo: a inatividade física acarreta especialmente no aumento da circunferência abdominal, que eleva o risco do diabetes tipo 2, mas pode ser prevenido com a prática regular de atividade física. Atente-se ao “regular”. Ou seja, todo-santo-dia. 30 minutos diários de atividade física moderada é fácil de encaixar no seu dia-a-dia, numa caminhada à padaria ou com brincadeiras com as crianças.

2. Alimentação: a família consome frutas e vegetais diariamente? A dieta pobre em nutrientes e rica em gorduras e açúcares é um fator crucial no desenvolvimento de distúrbios na produção e ação da insulina. Consuma cereais ricos em fibras e legumes todos os dias. E evite o excesso de gorduras.

O excesso de açúcar merece um capítulo à parte. Contribui para a obesidade (o excesso de açúcar – não apenas do doce, mas do carboidrato também – no corpo é transformado em gordura), e é capaz de ativar áreas do cérebro ligadas ao vício, aumentando a dopamina e serotonina (hormônios do prazer e bem-estar), que torna cada vez mais difícil se livrar do doce diariamente.

Pesquisas mostram que, na maioria dos casos de crianças com diabetes ou com potencial de desenvolver a doença, os pais se alimentam muito mal. Então repense sua alimentação. Seus hábitos são transferidos a seus filhos “por osmose”.

3. Mudanças hormonais: as mudanças hormonais da gravidez interferem na ação da insulina, e podem acarretar em diabetes gestacional. Pode acontecer com qualquer mulher, principalmente em casos de

  • Idade materna mais avançada;
  • Ganho de peso excessivo durante a gestação;
  • Sobrepeso ou obesidade;
  • Síndrome dos ovários policísticos;
  • História prévia de bebês grandes (mais de 4 kg) ou de diabetes gestacional;
  • História familiar de diabetes em parentes de 1º grau (pais e irmãos);
  • História de diabetes gestacional na mãe da gestante;
  • Hipertensão arterial na gestação;
  • Gestação múltipla (gravidez de gêmeos).

Nem sempre os sintomas são identificáveis. Por isso, recomenda-se que todas as gestantes pesquisem, a partir da 24ª semana de gravidez (início do 6º mês), como está a glicose em jejum e, mais importante ainda, a glicemia após estímulo da ingestão de glicose, o chamado teste oral de tolerância a glicose.

4. Idade e predisposição genética: a partir dos 45 anos e quando se tem casos de diabéticos na família, a propensão para desenvolver esta condição é maior, mas, como nada pode ser feito em relação a isto, redobre a atenção nos itens anteriores: a alimentação balanceada e a prática regular de atividades físicas são uma ‘fórmula infalível’. :) #conheçaseurisco

Referências:


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *