A ousadia de ser gente boa

imagem retirada do google imagens

A Família – Tarsila do Amaral

Olá amig@s!

Amig@s, é chamando-@s assim que quero me relacionar com vocês. Sei bem que uma amizade não começa do nada e de modo tão rápido, mas sei também que, uma afinidade, apenas “uminha”, já seria suficiente para agregar pessoas e fazê-las amig@s.

Se nos encontramos nesta página é porque temos algo em comum, algo que nos liga, nos enlaça, nos conecta. Algo que me autoriza a dizer, amig@s!

Este vinculo realizado a partir do interesse comum pode ser forte e duradouro e, tomara, que seja. Que a vida nos seja favorável em nos fazer unidos nessa aventura de ser gente.

Qual seria o vínculo que nos une nesta página? Alguém se arrisca a dizer?

Pois bem, podem ser vários. Temos muitos motivos para nos encontrarmos aqui. Temos interesses diversos. Contudo, quero dizer de um motivo que, ao meu ver, deve ser o primeiro interesse que nos une neste Blog.

Antes mesmo de querer falar sobre educação, sobre família, sobre sociedade, sobre escola, sobre crianças, sobre babys, sobre balas e doces. Há um motivo que precede todos esses temas e, ao mesmo tempo, está presente em todos esses temas.

Antes de qualquer coisa, estamos enlaçados na experiência da vida humana. Temos uma experiência comum, somos seres humanos. Esta é a nossa alegria e, também, o nosso desafio que perdurará enquanto vivermos.

Nossa alegria, porque somos feitos de inúmeras possibilidades, vários sentimentos e desejos nos invade, somos criativos, temos uma linguagem bem desenvolvida e uma capacidade de intervenção enorme em nosso planeta.

Nosso desafio se dá justamente por sermos complexos, às vezes, nos perdemos, criamos confusões, não sabemos bem como nos orientar, ou seja, não estamos prontos e acabados. Por sermos ‘humanos’ temos a possibilidade de nos fazer de várias maneiras. Nossa vida demanda de nós o processo educativo justamente por isso, não estamos prontos. E, talvez, jamais estaremos terminados. A educação é um trabalho para enquanto vivermos.

O motivo primeiro que me leva até vocês é acreditar piamente que todos nós desejamos ser gente. E não qualquer tipo de gente. Acredito que queremos ser gente boa. Não é mesmo? O fato é que, ser gente nem sempre é fácil. Pode ser simples mas fácil não é.

É neste sentido que darei minha contribuição neste espaço. Quero provocar debates, abordar temas, sugerir assuntos que nos ajudem a sermos melhores em nossa formação primeira de ser humano.

É porque queremos ser uma pessoa melhor que estamos aqui, buscando entender, aprender, compartilhar tudo aquilo que pode nos ajudar na construção de nós mesmos.

Afinal, não existe nenhum papai, nenhuma mamãe, nenhuma família que seja boa se renunciar à sua capacidade de ser cada dia melhor. E quem é gente boa certamente é um pai, uma mãe, uma família admirável. Um ser humano bom ecoa em todos os lugares a sua bondade.

É um pouco sobre este vínculo inicial, nossa humanidade, que vamos conversar no Blog.

Mas de qual lugar eu falo com vocês?

Primeiramente, como um amigo que conversa com outros amig@s. Nesta conversa trazemos tudo aquilo que somos, vivemos, aprendemos, acreditamos, sentimos. Muito desse universo de ‘coisas malucas’ que me forma vocês terão oportunidade de conhecer ao longo dos meus posts.

É neste laço existencial e que nos une aqui que sinto-me autorizado a nos considerarmos amig@s. E é neste afeto – sim, a amizade é um afeto – que quero conversar com vocês. Neste afeto, nos colocamos em uma horizontalidade, princípio básico para toda e qualquer educação, ou seja, não se trata de um educador, professor, cientista dizendo para alguns destinatários o que deve ser feito ou não sobre a vida de quem quer que seja mas, de alguém (no caso eu) que quer viver melhor. Assim, acredito ter algo a  partilhar, ou compartilhar, com outras pessoas.

Vamos juntos, aventuramos na ousadia e teimosia em buscar uma existência autêntica que nos assegure sermos gente boa.

_______________

o uso do @ nas palavras é para tentar escrever de modo mais inclusivo possível e significa tanto o ‘o’ do masculino quanto o ‘a’ do feminino. Assim, sinto que escrevo para tod@s! :)

Por que estou aqui

Olá!

Desde que descobri que estava grávida, pela minha rotina de trabalho muito intensa e horários loucos, a internet foi a grande aliada e fonte de informações! Conheci muitas mães e profissionais incríveis! Li depoimentos e artigos que, aos poucos, me deixaram cada vez mais segura, tranquila e preparada para o que estava por vir!

E desde então tenho trocado muita experiência com as mamães, gravidinhas, tentantes e aspirantes, principalmente pelo Instagram (@glammae! ;).  Me divirto, aprendo e me emociono com as histórias de outras mães! Então resolvi compartilhar as minhas experiências também!

Escrever, pra mim, é uma terapia! Já faço isso há um tempo, mais como uma “note to self”! Mas, se ao compartilhar, algo for útil a alguém, melhor ainda! Assim a gente reduz um pouquinho o famoso “se eu soubesse disso, teria feito diferente…”! rs

Nesse caminho, encontrei a Let e o Rafa, com valores que vão ao encontro dos meus, trabalhando de forma admirável para construir um mundo melhor, através do amor, do cuidado, do envolvimento… E assim pensamos em construir esse espaço!

Durante toda minha gestação, tive acompanhamento de uma equipe multidisciplinar que fez toda a diferença para o nascimento do meu bebê ser um sucesso! Por isso pensamos em trazer, além das nossas próprias especialidades, um time de colaboradores top, profissionais de várias áreas, que vão deixar nossos bate-papos ainda mais ricos!

Mas mais importante é a sua participação! Espero trocarmos ainda mais “figurinhas” por aqui! E fique à vontade para sugerir temas, pedir dicas e o que mais achar interessante!

Com amor,

Lily

li

Bem-Vindos ao Educando com Amor!

Close-up of a girl showing her hands painted with colors

Olá, pessoal!

Sejam bem-vindos ao blog do Projeto Educando com Amor!

Este espaço nasceu de um desejo avivado em 2011, ao percebemos na internet muitos blogs voltados ao universo infantil que não se propunham a refletir uma filosofia educativa. Mas foi somente em 2013 que o blog começou a ser gerido de fato, com a filosofia do amor e do cuidado, e da educação como envolvimento, autonomia, diversidade, diálogo, liberdade e limites. Após um período de hibernação, o projeto veio enfim a se concretizar neste ano de 2015!

Somos Lílian, Myriam e Rafael. Clique aqui para conhecer um pouco mais sobre a gente!

Nosso blog é voltado a papais, mamães e educadores de crianças e adolescentes, e pretende trazer diferenciais: além do olhar sobre um maternar realista, moderno, sustentável e principalmente amoroso, com o compartilhamento de experiências rotineiras, escolhas, inspirações e dicas, também contará com os olhares da psicologia infanto-juvenil e as reflexões sobre o processo educacional – e como todas estas provocações podem contribuir na prática para o desafiador processo de Educar.

Este novo blog conta ainda com um time de colaboradores em diversas áreas. Clicando aqui vocês poderão conhecer um pouco mais sobre eles. Logo vocês também poderão ler alguns textos preparados por essa equipe incrível.

marca

Perceberam que nosso logo não é à toa, né?

coruja é o símbolo da sabedoria, aquela sabedoria própria, única e peculiar da qual as crianças são dotadas, assim como aquele ideal de sabedoria que é buscado pelos pais para a educação dos seus filhos. Também nos remete ao afeto e carinho dos cuidados de quem ama, como quando se diz “mãe coruja”, “pai coruja”, “tia coruja”…

Já os balões simbolizam o diálogo que deve ser mantido em um bom relacionamento familiar ou em qualquer processo educacional, assim como o diálogo horizontal que traçaremos em nosso blog.

Implicitamente, dois passarinhos são vistos juntinhos, simbolizando o amor que é base fundamental de todo o desenvolvimento infantil e de todo relacionamento humano.

Então é isso. Sejam bem-vindos ao “Educando com Amor“! Aqui falaremos de Educação numa perspectiva ampla: diversão, filosofia, psicologia, festa, preparativos, saúde, vestimenta… afinal, educação não é apenas um processo formal, ela atinge dos âmbitos mais básicos aos mais complexos da dimensão humana. Brincar também é educar, festejar também é educar, se divertir também é educar, se alimentar, se vestir, comemorar…  Porque EDUCAR É SE ENVOLVER!